1-10 of 76

Página:
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
Os novos Galaxy Note 20 e 20 Ultra estão no centro da apresentação de hoje da Samsung, com um ecossistema onde entram os auriculares Buds, os Tablets e os Watch. Mas os dobráveis fazem parte do futuro.

Os primeiros modelos não tiveram grande sucesso e até levaram ao adiamento do lançamento comercial devido a problemas técnicos, mas os smartphones dobráveis fazem parte da estratégia de futuro da Samsung e a marca fez questão de o realçar hoje durante o Unpacked onde apresentou os novos Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra.

A Samsung reforçou o ecrã e todo o chassi, para o tornar mais durável, ultrapassando algumas das principais críticas. Mas o design junta também algumas características do Z Flip, incluindo a forma como pode manter-se aberto em posições de vários ângulos.

As dobradiças prometem não comprometer como o modelo anterior, tendo sido revistas para resistir à quantidade de vezes que é aberto e fechado, sendo adicionada mais flexibilidade.

O Galaxy Z Fold2 vem equipado com dois ecrãs Infinity-O, praticamente sem moldura. O ecrã da frente (ou capa) tem 6,2 polegadas, e quando se abre tem um ecrã principal de 7,6 polegadas, tornam este modelo maior do que o Galaxy Fold.

Uma das novidades é o material usado no ecrã, sendo efetivamente de vidro, como uma espessura muito fina, semelhante a um cabelo, refere a fabricante. O ecrã é composto por diversas camadas que tornam o vidro flexível o suficiente para ser dobrado, diminuindo o efeito dos vincos. A fabricante "inventou" um sistema de aspiração, composto por fibras, para extrair todas as partículas e resíduos que se acumulam nos orifícios e na dobradiça, ultrapassando assim um dos problemas da primeira versão.

Com um design elegante e engenharia melhorada, o Galaxy Z Fold2 estará disponível em duas cores, o Mystic Black e também o Mystic Bronze.

A Samsung guarda a revelação de mais detalhes para 1 de setembro, no evento que está marcado e que se substitui à presença na IFA. Nessa data começam também as pré encomendas.

A Samsung fez também uma parceria com a Thom Browne, uma casa de moda em Nova Iorque, para oferecer uma edição limitada do Galaxy Z Fold2 Thom Browne.

Fonte: tek.sapo.pt

Posted By Quioskemmme Quioskemmme
Os utilizadores podem guardar ficheiros protegidos com um PIN para que ninguém tenha acesso aos mesmos no smartphone.

Pegando no exemplo de uma mãe que empresta o smartphone aos seus filhos para os ajudar nas aulas ou se entreterem com jogos, mas com o receio de arquivos importantes serem apagados ou acidentalmente partilhados, a Google introduziu uma nova funcionalidade de proteção à sua aplicação de gestão.

O Safe Folder funciona como um cofre dentro da aplicação Files, permitindo ter conteúdos em segurança. Esta pasta é encriptada por um PIN de quatro dígitos, onde os utilizadores podem colocar documentos, imagens, vídeos e ficheiros de áudio. Apenas o portador da chave poderá destrancar a pasta e aceder aos seus conteúdos.

O cofre fecha-se automaticamente assim que o utilizador sai da app Files, impedindo o seu acesso quando a aplicação está em suspenso em background. E mesmo que o utilizador regresse à pasta, por questões de segurança será novamente pedido o código de entrada. Poderá assim emprestar o equipamento aos seus filhos ou a outros, sem a preocupação de perder os seus documentos pessoais ou outros ficheiros importantes.

A aplicação Files permite aos utilizadores fazer uma melhor gestão do espaço livre do smartphone. A app é sobretudo popular nos smartphones com capacidades muito limitadas de armazenamento, que obrigam os utilizadores a desinstalar ou apagar constantemente conteúdos, sobretudo em equipamentos vendidos a comunidades mais pobres como a Índia, Nigéria ou Brasil.

Fonte: tek.sapo.pt

Posted By Quioskemmme Quioskemmme
“Em qualquer situação de crise, especialmente naqueles que se prolongam por um grande período de tempo, as pessoas tendem a cometer erros que, noutro contexto, não cometeriam” – a opinião de António Pereira, Diretor de TI e DPO da Primavera BSS

Numa altura em que as atenções estão centradas na proteção do bem mais precioso que todos temos – a nossa vida – há uma nova ameaça à espreita. Com a instauração de uma pandemia à escala global, com casos de COVID-19 identificados em mais de 188 países, a dependência dos meios digitais intensificou-se. A Internet tornou-se o canal quase obrigatório de interação e um meio indispensável para milhares de pessoas que trabalham a partir de casa. Encontrar formas alternativas de trabalhar é excelente, mas é fundamental garantir um teletrabalho seguro.

À medida que o vírus se propaga, também as ameaças digitais se alastram. Por isso, é importante conhecer os riscos e colocar as trancas à porta, antes que seja tarde de mais.

Em qualquer situação de crise, especialmente naqueles que se prolongam por um grande período de tempo, as pessoas tendem a cometer erros que, noutro contexto, não cometeriam. E os criminosos sabem disso. A grande maioria dos ciberataques, cerca de 98%, têm origem na exploração de incertezas que se instauram nas diferentes sociedades e contextos em situação de crise. Os chamados cibercriminosos são pessoas extremamente criativas na conceção de novas formas de explorar os utilizadores e a tecnologia para aceder a palavras-passe, redes e dados. A capitalização do receio e da curiosidade humana não é uma tendência recente, por isso, é muito importante estar atento!

Esquemas, fraudes e malwares 

Se no início de 2020 analisássemos as pesquisas efetuadas na Internet sobre a palavra COVID-19, verificávamos que as mesmas representavam apenas 4% do total das pesquisas. Ao dia de hoje são praticamente 100%. A percentagem de pesquisas relacionadas com outras temáticas é tão reduzida que não chega sequer a ter significado estatístico.

E em que medida isto é relevante?

Em muito. Os criminosos estão atentos, conhecem o receio que está instalado, e aproveitam para lançar os mais diversificados esquemas, fraudes e malwares, tirando vantagem da curiosidade, necessidade de informação e muitas vezes do medo das pessoas. Emails, chamadas telefónicas, anúncios nas redes sociais, sites fraudulentos, visitas porta a porta, SMS, há de tudo um pouco.

Cair num destes esquemas pode significar ficar com os conteúdos do seu dispositivo encriptados (ransomware), permitir que utilizem a câmara ou o microfone do seu smartphone, além do acesso às suas imagens e mensagens de texto.

Há imensa informação a circular, mas também há muita desinformação e oportunismo. Por isso, pense bem antes de aceitar produtos ou serviços para descontaminação/desinfeção, seguros de saúde, testes gratuitos ao COVID-19, mapas online para seguir a pandemia, etc. Invista em ferramentas, políticas e mecanismos de segurança.

Face à necessidade de isolamento social provocada pelo elevado grau de contágio desta pandemia, o teletrabalho registou uma adesão em massa, apresentando-se como terreno fértil para os cibercriminosos. A probabilidade de sucesso dos esquemas fraudulentos aumentou com as pessoas em casa e fora das redes mais seguras das empresas, por isso, é muito importante garantir um teletrabalho seguro.

Para tal, as empresas devem investir em ferramentas, políticas e mecanismos de segurança da informação para os seus colaboradores que trabalham remotamente, tais como: VPNs; Política de segurança; Firewalls; Antivírus; HTTPS; 2FA; Sistemas de monitorização; Encriptação de discos; Remoção de administradores locais; Backups.

Mesmo com todos os cuidados e mecanismos de segurança, ninguém está 100% seguro, por isso, recomendamos a todos que parem e pensem muito bem antes de fornecer qualquer informação pessoal, descarregar e instalar software ou simplesmente clicar num link. Seja sempre cético e lembre-se: em tempo de crise, a atenção tem de ser redobrada!

Por isso, teletrabalho sim, mas teletrabalho seguro.

Fonte: www.visão.pt

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

As especificações do novo cartão SD Express é quatro vezes mais rápido que o actual

A SD Association, que para quem não sabe é a associação que estabelece os padrões para os cartões de memória SD, já veio anunciar uma nova especificação SD 8.0 para os cartões de memória SD Express.

Esta nova especificação vai permitir aos cartões transferirem dados a um ritmo de quase quatro gigabytes por segundo. Isto muito por conta da utilização de interfaces PCIe 4.0 e NVMe, que normalmente são encontradas em unidades de estado sólido.

Isto vai ser muito útil à medida que as novas tecnologias, como por exemplo, o video 8k, criam ficheiros cada vez maiores, e que requerem um ritmo de transferência mais rápido para se conseguir transferir os dados a tempo.

Deste modo, a especificação 8.0 vai permitir velocidades de transferência até quase 4 megabytes por segundo. Pode não parecer mas é uma grande salto no que toca à velocidade de transferência.

Isto se compararmos com a velocidade máxima de transferência dos 985 megabytes por segundo que encontramos nos cartões construídos para as especificações SD 7.0 e SD 7.1, que usavam a interface PCIe 3.1 mais lenta.

Assim a nova especificação estará disponível em cartões de memoria SDHC, SDXC e SDUC. Isto na teoria, significa que poderia ser usado num cartão SDUC de 128TB, que é a maior quantidade de memória suportada por um cartão SD até agora.

Mas atenção, não vá já a correr à loja para comprar um novo cartão de memoria SD com a especificação SD 8.0. Vai ter de esperar um pouco, pelo menos até que os fabricantes de cartões de memória implementem esta especificação nos seus próximos produtos. Para além disto, também vai precisar de aparelhos que leiam cartões na extremidade do hardware, como por exemplo, portáteis, câmaras e leitores de cartões.

E isto pode levar o seu tempo. Esperemos que não demore muito, mas se calhar é melhor esperar sentado.

Fonte: www.maistecnologia.com

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

Apple pode vir a reduzir o valor do iPhone SE para satisfazer a procura e simultaneamente combater o Pixel 4a

Segundo um relato feito pelo site AppleInsider a Apple pode vir a cortar nas margens de lucro do seu iPhone mais económico, o iPhone SE para dar um incentivo às vendas e ainda a tentativa de mudança das suas fábricas para fora da China.

Com o novo iPhone SE a começar nos 499 euros a Apple parece estar muito confiante quando à solução que lançou para o mercado para combater os equipamentos de média gama Android, nicho de mercado onde o smartphone da marca encontra-se. Segundo os analistas financeiros a marca estará mesmo a diminuir a sua margem de lucro de comercialização do iPhone SE para que as vendas do equipamento consigam ser ainda maiores para que desse modo consiga conquistar clientes à plataforma Android, principalmente aos clientes do equipamento Pixel 4.

Segundo ainda os mesmos analistas, tudo indica que o iPhone SE tenha uma margem de custo de componentes na ordem dos 54%, bem superior à media das outras marcas que andam na ordem dos 30.4%.

Outro aspecto também interessante é o facto de que a Apple não parece querer continuar a ficar no meio desta guerra comercial entre os Estados Unidos da América e a China. Foi relatado que a marca estará a diversificar o fabrico por diversas localizações fora da China. De relembrar que os EUA voltaram a estender a banição por mais um ano da empresa Chinesa Huawei no país.

Esta decisão pode ainda aumentar mais a escalada de tensão já existente entre os dois países, e como sabemos, a grande maioria das fábricas da Apple encontram-se na China e a marca não pretende arriscar em nada a sua situação devido a este conflito. Um dos países adiantados que poderá estar na mira da marca é a Índia.

Segundo relatos, alguns executivos da Apple têm vindo a manter contacto com membros do governo Indiano para que a sua produção no valor de 40 mil milhões de dólares seja concretizada nos próximos cinco anos. A produção poderá ser feita em conjunto com os parceiros actuais Wistron e Foxconn.

Fonte: www.maistecnologia.com

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

Apple planeja lançar um iPhone sem botões e entradas em 2021

Um iPhone sem botões, chegará às prateleiras no próximo ano, segundo rumores. O dispositivo que muda o jogo supostamente terá um corpo completamente de vidro e acabará com todos os buracos, portas e outros recursos externos.

Os usuários seriam obrigados a carregar o telefone sem fio em vez de conectá-lo e a usar fones de ouvido Bluetooth em vez dos com fio. A notícia vem do prolífico vazador da Apple Jon Prosser, que prevê regularmente os próximos gadgets da empresa muito antes de serem lançados.

De acordo com Prosser, que trabalha para o noticiário americano Front Page Tech, a Apple pretende lançar seu iPhone sem porta em 2021. O objetivo final da empresa é liberar apenas iPhones sem portas ou furos, ele twittou na semana passada.

Pode parecer absurdo, mas a Apple realmente apresentou projetos para esse dispositivo ao Escritório de Marcas e Patentes dos EUA no início deste ano. Parecendo um seixo liso e de alta tecnologia, a Apple descreveu sua invenção como um “gabinete de vidro de seis lados”.

Tecnicamente, existem “botões” nas laterais do telefone, mas são completamente invisíveis e alinhados com a superfície. Isso ocorre porque o lado do telefone é equipado com sensores de toque, que provavelmente vibrariam para que você saiba que os pressionou.

As seções laterais sensíveis ao toque também podem exibir a vida útil da bateria e as notificações do telefone, de acordo com a patente. Não há bandeja para cartão SIM, o que significa que você provavelmente terá que optar por um “eSIM” baseado em software.

Esses chips incorporados no seu telefone são regraváveis, o que significa que você pode decidir mudar de operadora com uma simples ligação. Celulares de alta tecnologia como o Samsung Galaxy Z Flip usam eSIMs, com mais telefones esperados para adotar a tecnologia no futuro.

Segundo Prosser, a Apple planeja lançar pelo menos um iPhone sem porta. O dispositivo experimental chegará às prateleiras no próximo ano, ao lado de iPhones mais tradicionais, com botões e portas de carregamento.

Fonte: www.maistecnologia.com

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

A atualização iOS 13.5 da Apple é o sinal mais claro de que sua próxima grande atualização de software para iPhone é iminente. A versão GM (golden master) do iOS 13.5 agora está disponível para desenvolvedores, e essa é sempre a última atualização que a Apple lança antes de suas atualizações de software tornarem-se públicas.

Os recursos do iOS 13.5 são destacados por um processo de desbloqueio simplificado para iPhones equipados com Face ID, se você estiver usando uma máscara facial, de acordo com as notas de versão.

O recurso de detecção de máscara facial da Apple funcionará em qualquer iPhone sem um botão home – portanto, do iPhone 11 ao iPhone X , mas não no iPhone SE 2 – quando você desliza o dedo pela parte inferior da tela de bloqueio ou precisa se autenticar com o App Store, Apple Books, Apple Pay ou iTunes.

iOS 13.5

Os aplicativos de rastreamento de contatos foram anunciados como um passo essencial para reabrir os países e evitar a disseminação do Covid-19. Apple e Google estão liderando os esforços de rastreamento de contratos, desenvolvendo funcionalidades em seus sistemas operacionais para smartphones.

O iOS 13.5 inclui uma ‘API de notificação de exposição’ para oferecer suporte a aplicativos de rastreamento de contato Covid-19 de autoridades de saúde pública. Não, esses aplicativos críticos ainda não estão aqui – depende de governos individuais criar ou ativar – mas a estrutura está pronta.

A API de notificação de exposição usa Bluetooth Low Energy para determinar se, nos últimos 14 dias, você passou por alguém e, posteriormente, deu positivo para o Covid-19 e o registrou em um banco de dados centralizado. Tudo isso acontece anonimamente.

Os aplicativos de rastreamento de contratos serão a contribuição mais importante da tecnologia para ajudar a vida a voltar ao normal, e o iOS 13.5 é o primeiro passo para que isso aconteça.

No futuro imediato, no entanto, a capacidade de desbloquear o telefone mais rapidamente é o principal motivo para baixar a atualização do iOS 13.5 assim que for lançada.

Fonte: maistecnologia.com

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

A Presidência do Conselho de Ministros decidiu que estabelecimentos de venda ao público poderão estar abertos durante o Estado de Emergência, que entrou esta quinta-feira em vigor, e decretou que alguns estabelecimentos estão devem manter as suas instalações em funcionamento.

Entre os vários estabelecimentos, onde se encontram os de bens de primeira necessidade, o Conselho de Ministros refere a necessidade que se mantenha aberto o “comércio a retalho de computadores, unidades periféricas e programas informáticos, em estabelecimentos especializados”, assim como os estabelecimentos especializados na venda de equipamento de telecomunicações. 

O texto final do decreto lei publicado na noite de dia 20 é ligeiramente diferente do documento original a que o IT Channel teve acesso prévio e suaviza a obrigatoriedade da abertura dos estabelecimentos com seguinte definição: "[estabelecimentos que] prestem serviços de primeira necessidade ou outros serviços considerados essenciais na presente conjuntura".

Não existindo uma absoluta obrigatoriedade na abertua destes estabelecimentos, o decreto lei estipula no seu artigo 12 C , que o governo pode impor caso se venha a revelar "essencial para assegurar o regular abastecimento de bens essenciais à população"

O mesmo documento determina que "nos estabelecimentos em espaço físico, devem ser adotadas as medidas que assegurem uma distância mínima de dois metros entre pessoas", assim como "uma permanência pelo tempo estritamente necessário à aquisição dos produtos".

No caso de prestações de serviços e transporte de produtos, "devem ser efetuados mediante o respeito das necessárias regras de higiene e sanitárias definidas pelas autoridades de saúde".

De relembrar que, segundo o documento do Governo, os cidadãos só podem circular na via pública para alguns propósitos limitados. No que às empresas diz respeito, uma das exceções é o “desempenho de atividades profissionais que não possam ser realizadas a partir do domicílio pessoal em regime de teletrabalho”. O regime de trabalho remoto deve ser disponibilizado “sempre que possível” para permitir aos colaboradores “o exercício das suas funções laborais a partir do seu domicílio pessoal, em regime de teletrabalho”.

A necessidade de alargar a capacidade de teletrabalho dos colaboradores de empresas e instituições, assim como a necessidade manter os cidadãos com um acesso normal às plataformas digitais, foi a razão pela qual o Governo incluiu tanto a informática como as telecomunicações no comércio ao público autorizado, assim como as empresas de assistência técnica.

Outras empresas de serviços de manutenção, como o caso do automóvel, também se vão manter abertas ao público. 

Estas são regras para os cidadãos e consumidores, sendo que o mercado grossista e profissional (B2B) não está de momento abrangido por nenhum tipo de restrição para além das aplicadas a todas as empresas que mantenham a laboração.

É de relembrar que o Estado de Emergência foi decretado em Portugal pela primeira vez na atual Constituição e entrou em vigor hoje, dia 19 de março, e estende-se por 15 dias, podendo ser renovado.

Veja aqui estas medidas no site oficial Covid19estamoson.gov.pt

Ou consulte na integra o Decreto n.o 2-A/2020 (ver anexo II ponto 26)

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

Vai comprar um monitor? Fique atento a estes pormenores

Dimensão do ecrã, design e preço. Estas são as variáveis habitualmente contempladas no processo de compra de um monitor mas existem inúmeros pontos a considerar se quiser garantir que está a adquirir um equipamento realmente ajustado às suas necessidades.

Montra TEK: Vai comprar um monitor? Fique atento a estes pormenores

Um monitor não é um equipamento complexo. Aliás, os passos de montagem não podiam ser mais simples: tirar da caixa, colocar a base e ligar. Esta simplicidade de funcionamento facilita também a decisão de compra. A maior parte dos utilizadores preocupam-se essencialmente com a dimensão do ecrã e com o design, mas a verdade é que existem alguns pormenores e tecnologias que podem melhorar significativamente toda a experiência de utilização.

Se tiver em conta todos estes elementos, a escolha de um novo monitor pode tornar-se um pouco mais complicada, mas não a ponto de se transformar numa dor de cabeça. Existem dezenas de opções no mercado extremamente interessante em termos de funcionalidades, design e relação qualidade-preço.

Deixamos alguns exemplos na galeria de imagens. Estas propostas não espelham os melhores modelos de cada marca, apenas oferecem uma referência das opções que estão disponíveis no mercado.

Em primeiro lugar é importante definir o tipo de monitor que necessita. Vai escrever texto, ver emails e navegar na internet? Ver filmes e jogar? Trabalhar com gráficos e design? A resposta a estas questões pode condicionar não só a dimensão do ecrã, como também as tecnologias integradas. Se procura um monitor para jogar tem que procurar desempenho e dimensão. Se quiser um monitor para escrever e navegar na internet pode procurar um bom compromisso entre dimensão e preço. Os profissionais do setor gráfico optam pela dimensão e tecnologia de imagem. Independentemente do cenário de utilização, eis alguns detalhes que deve considerar.

Que dimensão escolher no monitor?

Não existem regras específicas associadas ao tamanho do ecrã. Tudo depende um pouco do gosto, do espaço livre na secretária e do orçamento disponível. No entanto, a experiência de utilização pode não ser fantástica se optar por um ecrã com um tamanho totalmente desajustado. Podemos fazer edição de imagem num monitor com 25 polegadas? Claro que sim, mas não é o mais recomendado. Entre as 20 e 25” consegue encontrar um ótimo monitor para as tarefas mais comuns: internet, texto, entre outros exemplos. Se gosta de ver filmes, jogar de vez em quando, ou se trabalha com aplicações e documentos mais exigentes, então vale a pena investir num modelo de maior dimensão (25 a 29”). Ter um monitor acima das 30” não é para todos: exige um orçamento mais generoso e mais espaço na secretária, mas oferece uma área de trabalho e de visualização excecional para os gamers mais exigentes e para os trabalhadores gráficos, por exemplo.

Resolução HD ou 4K?

Quanto maior for o ecrã, mais qualidade ele tem? Não! O tamanho não está diretamente ligado à qualidade. A qualidade de imagem é “medida” na resolução. Uma resolução HD oferece uma imagem de qualidade para as tarefas básicas, mas não é suficiente se quiser ver filmes ou jogar - neste caso, opte pela resolução Full HD (1080p). Tendo em conta a evolução tecnológica atual, o preço competitivo e o facto de não mudarmos de monitor todos os anos, já não vale a pena investir em nada abaixo dos 1080p – mesmo que só veja vídeos no YouTube. A diferença de qualidade justifica a diferença de preço. Os monitores 4K ou Ultra HD oferecem uma experiência de visualização muito mais envolvente. A qualidade de imagem – cores, texturas, contrastes – e a área disponível é perfeita para os grandes jogadores e profissionais de imagem/vídeo.

Ecrã plano ou curvo?

Os ecrãs curvos permitem uma experiência de visualização mais envolvente e confortável, e asseguram um campo de visão mais alargado. É por esta razão que os ecrãs de cinema são curvos. O nível de curvatura é designado pelo raio (R). Quanto menor for o número, mais curvo será o seu monitor. Por exemplo, 1800R é mais curvo do que 4000R. 1800R tornou-se a especificação padrão deste tipo de ecrãs.

O que significam os “ms”?

Os milissegundos traduzem o tempo de resposta de um monitor, e neste domínio as regras são diferentes – quanto menor for o valor, mais rápida a imagem é gerada. Ou seja, se o intervalo de tempo for muito grande, o utilizador vai ver mais sombras ou as chamadas imagens fantasma. Esta é a razão pela qual os gamers, que lidam com cenários de ação extremamente rápidos, procuram tempos de resposta muito baixos (abaixo dos 3 ms).

E para que serve a refresh rate?

A refresh rate é a taxa de atualização da imagem no ecrã Mede-se em hertz e a regra é – quanto mais elevado for o valor, melhor será o desempenho. Por regra, um monitor comum, para tarefas diárias, oferece entre 60 a 75 Hz. Se procura um monitor para jogar, opte por um valor acima dos 120 Hz, porque esta taxa é essencial para manter a nitidez da imagem, sobretudo em imagens em movimento.

Brilho adequado para imagem e jogos

O brilho nem sempre é considerado um fator importante, mas para quem joga ou trabalha com imagem e vídeo pode ser relevante. O brilho mede-se em cd/m² - quanto maior o valor, maior o nível de brilho. Os gamers e profissionais acima referidos preferem valores acima dos 300 cd/m².

Proporção 16:10 ou 4:3 ?

O padrão mais comum e mais procurado é o panorâmico, ou 16:9. Porquê? Devido à visualização de filmes em Full HD, sem distorção do conteúdo. Mas há ecrãs com proporções diferentes: 16:10, 5:4, e 4:3. É importante perceber que nestes formatos, os conteúdos que forem desenhados para 16:9, como os filmes, vão aparecer distorcidos ou enquadrados com barras negras. Também já pode optar por um formato ultra panorâmico, muito apreciado pelos utilizadores que trabalham em ambientes multitarefa. Neste caso pode trabalhar, enquanto vê um filme.

Impacto na visão 

Independentemente de estar a jogar ou a trabalhar, a maior parte dos utilizadores de computadores passa horas à frente de um monitor. Apesar de a qualidade de imagem ser cada vez maior, o impacto na visão é inevitável, nomeadamente ao nível da fadiga. Existem marcas que integram tecnologias que ajustam algumas definições para reduzir este impacto – modo de leitura, redução das ondas de luz azul, entre outras opções. Estas tecnologias não comprometem a qualidade da imagem.

Ligações a todos os equipamentos

É importante verificar se o monitor que vai adquirir tem todas as ligações que necessita, nomeadamente se for liga-lo a equipamentos mais antigos. As portas HDMI asseguram a transmissão dos sinais de áudio e vídeo. É a porta que vai utilizar para ligar o monitor ao computador, por exemplo. A ligação VGA é uma tecnologia bastante mais antiga, mas existem ainda muitos equipamentos com esta conexão. As portas USB num monitor podem parecer dispensáveis, mas se quiser visualizar conteúdos mais rapidamente, então são perfeitas! Pode ligar o smartphone, um leitor de DVD, a máquina fotográfica, uma pen, entre outros exemplos. O DisplayPort é uma boa opção para quem procura uma resolução de imagem mais definida – jogos e filmes. É importante sublinhar que só consegue aproveitar ao máximo a alta resolução com uma ligação HDMI ou DisplayPort.

Design e ergonomia

Quando falamos em design não estamos a referir-nos à cor ou às linhas estéticas do monitor. Neste caso, o foco está a ergonomia. Dependendo do tipo de utilização, da profissão e das horas de trabalho, o conforto pode ser determinante. Há alguns anos os monitores eram estáticos, mas atualmente existem modelos que permitem distintas configuração – ajustar a altura, proximidade, inclinação e rotação.  

Organização em cima da secretária

Há monitores mais "organizados" que outros. Como assim? Alguns modelos possuem um design que permite esconder os cabos de ligação na estrutura de suporte ou na moldura traseira do monitor. Esta funcionalidade aumenta a área útil da secretária e deixa o ambiente de trabalho mais desimpedido e arrumado. Existem modelos que podem ser montados na parede.

Fonte: Sapo Tek

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

Os melhores smartphones abaixo de 200 euros

Mais barato não é sinónimo de má qualidade. Quando o orçamento não “estica”, mas precisa de comprar um novo smartphone aposte na relação qualidade-preço e siga estes conselhos.

Sugestão TEK: Os melhores smartphones abaixo de 200 euros

Um dos frutos mais apetecido da atualidade é o smartphone. Fotos e vídeos fantásticos, design de luxo, desempenho de topo, pagamentos, sistemas de segurança de última geração….

Estes equipamentos só têm mesmo um problema – o preço. Nem todos os utilizadores têm a capacidade de investir, 700, 800 ou mais de 1.000 euros num smartphone, e como tal têm de se contentar com os modelos mais acessíveis. É certo que um smartphone abaixo dos 200 euros não pode oferecer a mesma tecnologia inovadora que um equipamento mais caro, mas a verdade é que consegue fazer praticamente tudo o que os “grandes” fazem.

A evolução tecnológica é tão rápida, que estes smartphones mais baratos acabam por estar equipados com tecnologias e soluções bastante atuais e eficientes. Preço baixo não significa tecnologia ultrapassada ou mau produto. Pelo contrário, estes modelos oferecerem uma relação qualidade preço bastante atrativa. A qualidade, velocidade e funcionalidades extras podem ser um pouco mais reduzidas, comparativamente ao que é prometido por um smartphone de 1000 euros, mas continuam a ser ótimas opções de compra.

Veja na galeria de imagens alguns dos melhores smartphones que pode atualmente comprar por menos de 200 euros.
Este modelo Note é 50 euros mais caro que a versão 7, mas para quem gosta de fotografia, é uma opção a considerar. O Note 8T tem quatro câmaras traseiras de 48MP + 8MP + 2MP + 2MP. A câmara principal Ultra HD de 48MP oferece fotos de alta resolução, grava vídeo em 4K e em câmara lenta - até 960 frames por segundo. A câmara super macros, com foco de 2cm, consegue registar os mais pequenos detalhes e a câmara frontal de 13MP integra vários modos de disparo que criam efeitos naturais, de profundidade, de maquilhagem, entre outros. Integra um ecrã de 6,3” (rácio de 91.4%) com proteção low blue eye, 3GB de RAM, 32GB de memória interna e processador octa-core Snapdragon 665, para melhor desempenho em jogos e tarefas mais exigentes. A bateria de 4000mAh inclui tecnologia de carregamento rápido.
Com um ecrã de grande dimensão (6,3"), 3GB de RAM, 32GB de memória interna, um processador octa-core (Snapdragon 660) e dupla câmara traseira de 48MP e 5MP, este modelo é um excelente exemplo de relação qualidade-preço. O duplo sistema de câmaras integra uma tecnologia de melhoramento de imagem que torna fotos e vídeos mais nítidos, mesmo à noite.  A câmara frontal para selfies inclui um algoritmo inteligente de AI que ajusta as características faciais e apresenta um efeito de maquilhagem natural. Tem 13MP e reconhecimento facial. O ecrã de grande dimensão possui proteção Corning Gorilla Glass 5 para maior resistência a impactos, e a bateria de grande autonomia (4000mAh) integra a tecnologia quick charge da qualcomm - com poucos minutos de carga ganha autonomia para algumas horas.
Se pretende um telefone com uma boa câmara e um bom ecrã, este modelo é uma boa opção. O sistema de dupla câmara permite criar fotos mais criativas. A câmara principal de 13MP (F1.9) aposta na nitidez e está preparada para responder às exigências dos ambientes com menos luz. A câmara Ultra Wide permite-te capturar paisagens num ângulo de 123°. A câmara frontal inteligente de 8MP inclui o sistema de focagem Selfie que desfoca o fundo para colocar o rosto em destaque, e o modo Beleza Inteligente que garante que ficará sempre no seu melhor. O ecrã HD+ Infinito-V de 5,8” reproduz cores vivas e contrastes definidos. Este modelo conta ainda com um sensor de impressão digital na parte traseira, para reforço de segurança, sistema dual-SIM, 3GB de RAM, 32GB de memória interna, processador Octa-Core e tecnologia de carregamento rápido.
Apesar de ser mais barato, este modelo da Samsung mantém uma das vantagens que os utilizadores tipicamente atribuem à marca: a qualidade de imagem. O generoso ecrã HD+ Infinity-V, de 6.2", oferece uma experiência de visualização mais envolvente, graças ao design adotado. A lente de brilho na câmara traseira (13MP) permite capturar fotografias nítidas e mais vivas, mesmo à noite, e a câmara frontal de 5MP suporta selfies de alta resolução. Inclui tecnologia de reconhecimento facial, 2GB de RAM, 32GB de memória interna e processador octa-core.
A marca dispensa apresentações, mas continua muito conotada com aqueles telemóveis antigos, isentos de grande tecnologia. Nada podia estar mais longe da verdade. A marca possui vários modelos no mercado com uma boa relação tecnologia – qualidade – preço. Este é um exemplo. A estrutura, com 8,4 mm de espessura, é envolvida por vidro curvo 2.5D premium, algo que confere ao modelo um maior conforto e uma imagem atrativa. O ecrã HD+ de 5,71", com formato 19:9 (notch), oferece uma imagem nítida com bons contrastes, e o sistema de dupla câmara inclui uma câmara traseira de 13MP e outra de 2MP com sensores de profundidade. A câmara frontal para selfies de 8MP oferece um campo de visão de 74°. Os 32 GB de espaço podem ser expandidos até 400GB via cartão microSD, inclui 3GB de RAM, um sensor de impressão digital, reconhecimento facial, um botão dedicado para o Google Assistant e um processador octa-core. Um dos pontos fortes deste modelo é a experiência de utilização – interface simples, eficiente e limpa (Android One), a qualidade de construção e o desempenho fluido.
Mais espaço de armazenamento (64GB), um ecrã FullView de 6,21" com Dewdrop (notch), e uma câmara tripla (24MP + 16MP + 2M), e uma bateria um pouco mais fraca (3400mAh). Estas são as diferenças mais visíveis deste modelo da Huawei, face aos modelos que mencionámos anteriormente. Mas no global, há mais diferenças. O design unibody curvo 3D com textura cerâmica é atrativo é dá-lhe uma imagem premium. A tecnologia de reconhecimento de cena AI consegue identificar 22 categorias e 500 cenários em tempo real para otimizar automaticamente as fotos. As triplas câmaras traseiras de grande abertura f/ 1.8 apostam nos detalhes e nos efeitos, e a câmara frontal reconhece 8 cenas exclusivas de selfie e otimiza as fotos em tempo real para exibir retratos perfeitos. A bateria é de 3400mAh, mas existem dois fatores a seu favor: o processador octa-core Kirin 710 inclui tecnologia de processamento de 12nm que reduz o consumo de energia, e o carregamento é mais rápido. Inclui desbloqueio facial.
Quando preparámos este artigo era impossível encontrar este modelo por menos de 200 euros, nos espaços comerciais mais conhecidos. O preço ronda os 220/230 euros. No entanto, online é bastante fácil. Por que é que vale a pena referir este Hisense? Porque é uma marca menos conhecida, mas que apresenta alguns argumentos bastante atrativos: uma bateria de 4530mAh com sistema de economia de energia; um ecrã de 6,5” (2160x1080) com notch que facilita o trabalho, e torna a visualização de conteúdos e as maratonas de jogos mais divertidas; 4GB de RAM, e 128GB de espaço de armazenamento, algo que não é muito comum nesta categoria de preço. O processador octa-core MediaTek Helio P70 AI também consegue garantir um desempenho bastante bom para o seu nível. A câmara dupla (16MP+2MP) consegue identificar até 16 cenários diferentes e otimizar a qualidade das fotos, enquanto a câmara frontal de 20MP inclui vários modos de beleza.

Os smartphones recondicionados são uma boa opção?

Sempre quis ter um iPhone ou um telefone de gama alta, mas não tem orçamento? Pode optar por um telefone recondicionado – smartphones que foram devolvidos ao fabricante (pela loja, revendedor ou cliente), e que são postos novamente à venda no mercado com preços bastante mais atrativos. Estes equipamentos são reparados, se necessário, limpos e reconfigurados com o software de origem. Quando são colocados à venda estão 100% operacionais e muitos deles com garantia.

A grande vantagem está no preço. Um iPhone 7 novo, por exemplo, que está à venda por aproximadamente 450 euros, pode ser comprado por 250 recondicionado. Apesar de estes equipamentos terem sido testados antes de entrarem nas lojas, vale a pena estar atento a alguns pormenores.

- Sempre que possível, opte por equipamentos com garantia.

- Compre estes equipamentos na loja da marca, ou em lojas de confiança. Existem inúmeros espaços na internet a vender telefones recondicionados, certifique-se que o espaço tem boa reputação.

- Analise as funcionalidades e tecnologias dos telefones. Por vezes um telefone de 200 euros já integra a mesma tecnologia que um modelo antigo de um grande marca. Verifique se faz sentido comprar um iPhone 6 recondicionado, por exemplo, quando já existem opções melhores ao mesmo preço.

Como escolher o melhor smartphone?

As regras para escolher um telefone com um preço mais acessível são exatamente as mesmas. Se valoriza as fotos e vídeo procure uma câmara com uma lente de melhor qualidade, para jogar privilegie o desempenho e o ecrã, e para chamadas e internet verifique a tecnologia de acesso e a autonomia.

Independentemente da opção, opte pelo modelo que melhores responde às suas exigências e estilo de vida, pesquise o modelo na internet, compare análises e preços, e experimente-o se for possível. É importante ter em conta que a dimensão e resolução do ecrã influenciam a autonomia, que a qualidade das câmaras não se mede só pelos megapíxeis, e que a capacidade de processamento é importante para quem privilegia a velocidade.

Fonte: Sapo Tek

Posted By Quioskemmme Quioskemmme

1-10 of 76

Página:
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
>